terça-feira, 4 de dezembro de 2012

RELEMBRANDO ZAPPA E BOLIN

Quis o destino, escolher o dia 4 de Dezembro do calendário gregoriano para ficar marcado como a data de passagem, deste para um plano superior, de dois grandes músicos. Refiro-me especificamente à Tommy Bolin e ao Genial Frank Zappa.
Tommy Bolin mostrou interesse por música muito cedo, primeiro aprendendo a tocar bateria, depois piano e guitarra. Com a guitarra ele ganhou o status de lenda, muito devido a trágica interrupção de uma carreira que já se desenhava brilhante e que, até hoje, gera muita especulação no imaginário dos fãs, sobre as obras que ele poderia ter produzido se não tivesse partido prematuramente em 1976.

É lembrado pelos seus trabalhos junto ao Zephyr (aonde iniciou sua carreira profissional),  na banda do baterista Billy Cobhamem discos solos e coletâneas (algumas com material inédito, que foram lançadas após a sua morte), mas principalmente pela façanha de substituir, brilhantemente diga-se de passagem, os lendários Joe Walsh (no James Gang) e Richie Blackmore (no Deep Purple).

Gravou apenas um disco de estúdio com o Deep Purple, Come Taste The Band, de 1975, que apresentou uma grande mudança na sonoridade da banda, com pitadas soul e funk, produzidas pelas influências musicais de David Coverdale, Glenn Hughes e do próprio Bolin, o que desagradou alguns fãs. No mesmo ano lança Teaser, seu primeiro disco solo, exacerbando todo o seu talento e perícia na guitarra.

Em fevereiro de 1976, o Deep Purple resolver encerrar as atividades e Tommy sai em carreira solo. Sai em excursão para promover o lançamento de seu novo disco, Private Eyes, de 1976. Em 4 de dezembro de 1976, após ter feito o "opening act" para o show de Jeff Beck, Tommy Bolin foi encontrado morto em um hotel de Miami, vitimado por uma overdose, tinha apenas 25 anos de idade.

Com relação a Frank Zappa, fica difícil descrever o "Pai da Invenção" em poucas palavras. Compositor, guitarrista, baterista, percussionista, produtor de gravação, produtor de espetáculos e de teatro, artista plástico, publicitário, ativista político, ator, performático, diretor de cinema e videoclipes, dono de uma vasta obra musical que abrange o rock, fusion, jazz, música eletrônica, música clássica, soul, blues, rhythm and blues, improvisações, música experimental, psicodelia, ópera, musica latina, disco music e etc. Seu trabalho é praticamente impossível de ser rotulado, ou sequer categorizado.

Produziu quase todos os 60 álbuns que lançou, escreveu as letras de todas as suas canções, com forte tendência a abordar de forma humorística as questões e estruturas sociais e políticas, os movimentos pré-estabelecidos, os métodos de educação, as religiões, a defesa da liberdade de expressão e a abolição da censura, porém desaprovava o uso de drogas pelos seus músicos e groupies que o acompanhavam  ele classificava pessoas sob efeito de drogas como "babacas em ação". Fumou maconha apenas algumas vezes, confessando não sentir nenhum prazer.

Em 1990, foi convidado pelo presidente da Tchecoslováquia como consultor do governo em assuntos comerciais, culturais e turísticos, devido a forte influência na cena de vanguarda e underground do leste europeu dos anos 1970 e 1980, entretanto, a administração dos EUA colocou pressão no governo tcheco, que desfez a nomeação. A partir deste episódio, Zappa começou a atuar como consultor cultural não oficial, planejando desenvolver uma empresa de consultoria internacional para facilitar negócios entre o antigo bloco soviético e o bloco capitalista.

Foi altamente produtivo e prolífico até o fim dos seus dias, tendo lançado álbuns que são considerados essenciais na história do rock e do jazz, considerado um dos guitarristas mais originais de seu tempo, aclamado pelo público e pela crítica. Quando em 1990, ele foi diagnosticado com câncer de próstata terminal e inoperável, a maioria dos seus projetos ficaram parados, pois passou a dedicar a maior parte do seu tempo e energia para trabalhos orquestrais. Em 1991, foi um dos quatro compositores escolhidos a se apresentarem no aclamado Festival de Frankfurt, os outos eram John Cage, Karlheinz Stockhausen e Alexander Knaifel.

Cientistas de vários campos que, assim como o artista, desafiam as crenças convencionais e tradicionais quando a tais crenças carecem de raízes na lógica e na razão, têm homenageado Zappa nomeando novas descobertas com seu nome. Exemplos: Amaurotoma Zappa (molusco), Zappa Confluentus (peixe), Phialella Zappai (medusa), Pachygnatha Zappa (o lado ventral do abdômen da fêmea destas aranhas, se assemelha impressionantemente com o bigode do artista), zapA (gene da bactéria Proteus mirabilis), Spygori Zappania (fóssil de metazoários) e Zappafrank (asteroide).

Existem esculturas representando a figura do músico nas cidades de Vilnius (capital da Lituânia), em Baltimore (EUA) e em Bad Doberan (Alemanha), que desde a instalação, promove anualmente o Zappanale, um festival para celebrar a música de Frank Zappa. Uma rua do distrito de Marzahn, em Berlim, recebeu o nome de "Frank-Zappa-Straße" e em Baltimore, a prefeita Sheila Dixon proclamou oficialmente o 9 de agosto como o "Dia de Frank Zappa", citando as suas habilidades musicais e sua fervorosa defesa da Primeira emenda da constituição dos Estados Unidos da América.
Zappa foi, sem a menor sombra de dúvida, a mente musical mais inventiva, democrática, libertária, perspicaz, mordaz, sarcástica e socialmente crítica, que o mundo da música já viu. A música, a política e a filosofia de Frank Zappa, não podem ser separadas dos mundos do rock e da música clássica que ele conseguiu tão brilhantemente unir. Centenas de músicos, bandas e orquestras notáveis de diversos gêneros tem sido influenciado pela sua música. Faleceu em 4 de dezembro de 1993, em sua casa, cercado por sua esposa e seus quatro filhos.

  • Para saber um pouco mais sobre Frank Zappa, recomendo o livro "Detritos Cósmicos" do jornalista Fábio Massari (Conrad Editora, 2007).
  • Para saber sobre a iniciativa liderada por Frank Zappa contra a censura prévia as obras musicais pelo PMRC, veja aqui mesmo neste Blog o artigo sobre os 27 anos do “Tipper Sticker” em "O DIA QUE TENTARAM DOMESTICAR O ROCK'N'ROLL!!!".
  • Para ouvir um pouco de sua obra, vale a pena conferir o programa LAM House especial Frank Zappa absolutamente ao vivo, apresentado por mim e Luiz Antônio Mello, que foi ao ar na rádio Fluminense no dia 10/09/2011. Clique AQUI para ouvir direto ou, se quiser fazer uma cópia, clique com o botão direito e depois "Salvar link como".
___________________________________________________________________________
Texto original de LACARV, publicado em 04/12/2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...